13 setembro 2009

o arvoredo

sunday morning, a boca ainda seca, o estômago revirado e a velha cabeça matutando: eu sempre faço merda! o final de semana foi corrido, demos dois grandes pulos em campinas, uma cidade ótima. ótima. eu sempre penso porque diabos as pessoas não gostam da vida no interior e vem morar em são paulo. qual será o apelo das grandes metrópoles? um sonho, uma vida melhor, o caos? queria saber o que tanto atrai essas almas. estão todos buscando a loucura, só eu busco a calma? quero me afastar da cidade cinza. estou cansada do trânsito, de lugares lotados, me sinto um bicho enjaulado, exausta, língua pra fora, cobiçando correr por verdes campos, criar habilidade na convivência com mosquitos e lagartixas. talvez não por muito tempo, é verdade. mas preciso de um descanso. uma hora faço minhas malas e vou-me embora com meu homem pra longe daqui. viver o verde de perto. livre, bem livre, respirando o ar das noites quentes.

2 comentários:

Xisto, M. disse...

Começando a entender a vibe anti-cinzenta, Dezinha...

george jung disse...

este verdinho que nos integra, nos circunda
este verdinho tão gostoso e neném
é uma cor de vida e de espírito
um brilho dos olhos
também

tuas pupilas são delícia de se ver, me envolvem vivo e tão lunar que me atmosfero, e desejo loucamente o que agora não tenho

e não é a mega-sena
e não é a paz no mundo
e é um abraço...apertado.




belo texto, poetiza. tentei comentar à altura, mas sabes bem....